Criação e validação de uma Escala de Valores e Comportamentos Éticos na Prática Profissional em Psicologia no Brasil (EHVPP-BR)

Autores

  • Fernando Faleiros de Oliveira Universidade Federal Fluminense, Volta Redonda, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Luana Charupá Barbosa Centro Universitário UNIGRAN Capital, Campo Grande, MS, Brasil.
  • Lívia Silva Viveiros de Carvalho Centro Universitário UNIGRAN Capital, Campo Grande, MS, Brasil.
  • Maria Elisa de Lacerda Faria Centro Universitário UNIGRAN Capital, Campo Grande, MS, Brasil.
  • José Alexandre dos Santos Centro Universitário UNIGRAN Capital, Campo Grande, MS, Brasil.
  • Márcia Cruz Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal.
  • Paulo Alves Instituto Piaget, Viseu, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.573

Palavras-chave:

Escala, ética, valores, prática profissional, validação de instrumentos

Resumo

Introdução: A ética para o exercício profissional tende a ser posta em prática a partir de uma estrutura de valores que orienta o comportamento dos membros dessa profissão, por meio de um conjunto de deveres, princípios e normas que promove o reconhecimento pelos pares, a confiança do público e a proteção e reputação da profissão, valores fundamentais para qualquer atividade e entendidos como o que é imprescindível para alcançar a prática profissional ideal (Ricou, 2014) [1]. Objetivos: Desenvolver e validar uma escala hierárquica de valores e comportamentos ético-profissionais para psicólogos brasileiros (EHVPP-BR). Material e Métodos: Trata-se de um estudo transcultural em países lusófonos (Portugal, Angola, Moçambique e Brasil), que no Brasil foi realizado em etapa única, online, respeitando exigências éticas de pesquisa com pessoas e aplicado entre abril e maio de 2022. A amostra foi composta por conveniência (snowball) e o protocolo foi composto por: termo de consentimento, questionário sociodemográfico-ocupacional, e a EHVPP-BR (23 itens, 4 dimensões, escala likert de 1 a 5 – discordo totalmente/concordo totalmente), com base em Alves et al. (2021) [2]. Resultados: Participaram 239 psicólogos brasileiros de diferentes regiões e áreas de atuação. Considerados os critérios psicométricos de evidências de validade (Ramada-Rodilla et al., 2013) [3], houve normalidade e robustez da distribuição dos dados (KMO=0,854, esfericidade de Bartlett  (χ²(90)=1012,03, p<0,001), variância explicada=69,70%), que apontaram uma solução com 23 itens, redistribuídos em duas dimensões: Valores Universais & Princípios Deontológicos (α=0,823) e Normas Específicas & Locais para a Prática Profissional (α=0,889). Os valores e comportamentos éticos mais valorizados foram: não ceder ou vender instrumentos de avaliação psicológica (M=4,58; DP±0,6) e, cumprir o Código de Ética (M=4,31; DP±0,8); já os menos valorizados foram: denunciar o não cumprimento ou a violação do código de ética (M=3,85; DP±1,2) e, evitar a busca de informação da vida privada do cliente (M=3,75; DP±1,2). Esses apontamentos demonstram que, simultaneamente, o Código de Ética é valorizado de forma consistente, no entanto, não se observa um de seus preceitos que é denunciar quem o desrespeita. Assim, se faz a sugestão de dar continuidade aos estudos sobre o tema, para aprofundar o conhecimento sobre a valorização do comportamento ético, que podem sinalizar aspetos a serem reforçados ou reorganizados na formação e no desenvolvimento da profissão.

Downloads

Publicado

2023-07-06

Como Citar

Criação e validação de uma Escala de Valores e Comportamentos Éticos na Prática Profissional em Psicologia no Brasil (EHVPP-BR). (2023). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Sup), 56. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.573

Artigos Similares

1-10 de 455

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)