Auxílio à realização de atividades básicas de vida diária no pós-alta hospitalar de idosos

Autores

  • Danielle Bordin Departamento de Enfermagem e Saúde Pública, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa
  • Clóris Regina BlanskiGrden Departamento de Enfermagem e Saúde Pública, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa
  • Luciane Patrícia Andreani Cabral Departamento de Enfermagem e Saúde Pública, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa
  • Everson Augusto Krum Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, Ponta Grossa; Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa
  • Isabele Savin Sanson Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, Ponta Grossa

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v2i2.59

Palavras-chave:

morbidade, internamento hospitalar, fatores de risco, serviços de assistência domiciliar, enfermagem gerontológica

Resumo

Introdução: O aumento exponencial de idosos exige preparação do sistema de saúde, decorrente da maior prevalência de doenças, incapacidades e internamento, podendo necessitar de cuidados domiciliares. Objetivo: Analisar a prevalência e fatores associados à necessidade de auxílio para realizar as atividades básicas de vida diária (ABVD) no pós-alta hospitalar de idosos. Material e Métodos: Trata-se de estudo transversal, realizado, em 2018, junto a 144 idosos que foram internados num hospital universitário brasileiro. Realizou-se entrevista telefónica, após 30 dias da alta hospitalar, por meio de questionário estruturado baseado em pesquisas de investigação nacional proposta pelo Ministério da Saúde brasileiro e artigos. Como variável dependente considerou-se a necessidade de auxílio para realizar as ABVD no pós alta, e como independentes as características sociodemográficas, de saúde, estilo de vida e serviços de saúde utilizados. Aplicou-se análise de regressão logística através do programa SPSS 20, nível de significância p?0,05. A pesquisa foi aprovada pelo comité de ética (parecer número: 2.461.494/2018). Resultados: Verificou-se que 43,1% dos idosos necessitaram de auxílio para realizar ABVD no pós-alta hospitalar. Maior probabilidade de necessitar de auxílio para realizar as ABVD foi para aqueles que requereram internamento na UTI (OR=2,9; IC=1,15-7,31) (p=0,02), apresentaram multimorbidade (OR=3,00; IC=1,42-6,34) (p=0,00) e sedentarismo (OR=2,68; IC=1,23-5,85 (p=0,01). Conclusão: O estudo identificou importantes fatores associados à necessidade de auxílio para realizar as atividades básicas de vida diária no pós-alta hospitalar de idosos, com destaque para a necessidade de leito de UTI durante internamento, multimorbidades e sedentarismo.

Metrics

Metrics Loading ...

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

Bordin, D., BlanskiGrden, C. R., Andreani Cabral, L. P., Krum, E. A., & Savin Sanson, I. (2021). Auxílio à realização de atividades básicas de vida diária no pós-alta hospitalar de idosos. RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 2(2), 38–44. https://doi.org/10.51126/revsalus.v2i2.59