Metodologias de acesso à função do Sistema Nervoso Autónomo

Autores

  • Rafael Pinheiro ciTechCare – Center for Innovative Care and Health Technology, Politécnico de Leiria, Leiria, Portugal.
  • Sónia Santos ciTechCare – Center for Innovative Care and Health Technology, Politécnico de Leiria, Leiria, Portugal.
  • Nuno Vieira-Lopes ciTechCare – Center for Innovative Care and Health Technology, Politécnico de Leiria, Leiria, Portugal.
  • Rui Fonseca-Pinto ciTechCare – Center for Innovative Care and Health Technology, Politécnico de Leiria, Leiria, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.597

Palavras-chave:

Sistema Nervoso Autónomo, Disautonomias, Balanço Vago-Simpático (BVS), Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC), Microneurografia

Resumo

Introdução: A avaliação da função do Sistema Nervoso Autónomo (SNA) é hoje utilizada em vários contextos clínicos na caraterização e diagnóstico de disautonomias. Esta avaliação compreende as funções sudomotora, cardiovagal e adrenérgica. Os testes para avaliação do SNA podem classificar-se em testes indiretos e testes diretos. Relativamente aos testes indiretos, estes têm a desvantagem de fornecer informação apenas da função do órgão-alvo, obtendo-se desta forma uma caraterização do tipo indutivo relativamente aos mecanismos internos de origem autonómica que o regulam. Estes testes recorrem à avaliação de catecolaminas séricas, ao teste de suor, e à avaliação da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC). Relativamente aos testes com avaliação direta da atividade autonómica, em particular da sua componente simpática, a microneurografia é uma técnica de registo direto num nervo periférico, sendo, portanto invasiva, mas que permite quantificar diretamente, por unidade de tempo, os potenciais de ação que resultam da ativação simpática. Objetivos: Sistematização das metodologias de avaliação do SNA para se obter um indicador referente ao balanço vago-simpático (BVS). Material e Métodos: No sentido de se sistematizarem as metodologias de avaliação do SNA são apresentados exemplos de testes onde se aplica a metodologia de acesso direto através da análise da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) através do registo de ECG, análise no domínio do tempo, da frequência, tempo-frequência e teoria do caos. Relativamente aos métodos indiretos é apresentado um exemplo de microneurografia bem como as métricas de avaliação da atividade simpática por unidade de tempo e por bloco de batimentos cardíacos. Resultados: A metodologia apresentada permite obter de forma sistemática a classificação dos vários métodos de avaliação do SNA através da ilustração de exemplos reais obtidos em contexto clínico. Os exemplos apresentados permitem dar a conhecer o potencial das técnicas de acesso ao BVS, em particular através do processamento e integração dos dados obtidos durante a avaliação. Conclusões: Os resultados permitem afirmar o potencial que a quantificação da atividade do SNA tem no contexto de avaliação de disautonomias.

Downloads

Publicado

2023-07-13

Como Citar

Metodologias de acesso à função do Sistema Nervoso Autónomo. (2023). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Sup), 74-75. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.597

Artigos Similares

1-10 de 407

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.