O Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica na promoção da esperança na doença oncológica pediátrica

Autores

  • Maria Lemos Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto; Equipa Saúde Escolar, UCC Lousada, Lousada, Portugal
  • Catarina Rodrigues Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto; Serviço de Neurocirurgia, CHUdSA, Porto, Portugal
  • Lina Pires Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto; Serviço de Urgência, CHMA, EPE, Santo Tirso, Portugal
  • Rita Vieira Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto; Serviço de Pediatria, IPO, Porto, Portugal
  • Vera Duarte Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto; Hospital de Dia de Pediatria Médica, CHUSJ, Porto, Portugal
  • Goreti Marques Escola Superior Saúde Santa Maria, Porto, Portugal
  • Rita Fernandes Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.674

Palavras-chave:

Enfermagem pediátrica, adolescente hospitalizado, esperança, teoria de enfermagem, enfermagem oncológica

Resumo

Introdução: A adolescência é uma fase de mudanças importantes no processo de desenvolvimento biopsicossocial, apresentando-se com particular vulnerabilidade pelo processo de transição acometido. O diagnóstico de uma doença oncológica na fase da adolescência é perspetivado como contraditório e inesperado, num período de construção do futuro, agravado pelo sentimento de vulnerabilidade caraterístico desta etapa, para o qual o Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica (EESIP) deve focar a sua intervenção. Objetivos: Identificar intervenções de Enfermagem promotoras de esperança numa adolescente com doença oncológica. Material e Métodos: Realizado um estudo de caso orientado nas guidelines Case Reports como desenho de estudo estruturado (Gagnier et al., 2013), com pesquisa de evidência em diversas fontes científicas: SciELO, CINAHL e Pubmed. O estudo aborda uma adolescente diagnosticada com leucemia linfoblástica aguda num serviço de Pediatria Oncológica. Perante um caso clínico na área de Enfermagem, e adaptando as diretrizes anteriormente referidas, foi realizada uma análise reflexiva e investigativa, baseada no raciocínio clínico do processo de Enfermagem, enaltecendo a importância deste tipo de estudos na construção de novas práticas cada vez mais complexas e avançadas na intervenção do Enfermeiro, reconhecendo que mais estudos devem ser realizados para aumentar o grau de evidência que os casos clínicos comportam entre si (Yang et al., 2019). Resultados: Numa visão holística, através da avaliação de Enfermagem, a esperança surge como um dos focos de atenção, com orientação de intervenções do EESIP como promotoras de esperança na adolescente, por enfrentar diversos processos de transição complexos, com necessidades de intervenção particulares e especiais, visto ser necessário suporte emocional e mecanismos de coping para enfrentar uma doença oncológica (Saraiva & Sousa, 2022; Paramos et al., 2023). Dentro da sua capacidade de adaptação de intervenção do EESIP ajustada ao processo de transição da adolescente (Souza et al., 2022), este promove fatores facilitadores que influenciam a esperança dentro do seu caráter dinâmico (Santos et al., 2020), numa visão holística e humanista da adolescente. Conclusões: A intervenção do EESIP perante uma adolescente em processo de doença oncológica, é de extrema importância, no seu ajuste a cada momento de transição, com intervenções facilitadoras de esperança, promoção da adoção de estratégias de empoderamento, num sentido de maximização de todo o potencial da adolescente, orientando-a numa transição saudável, com perspetiva num futuro próximo e na manutenção dos seus sonhos e objetivos para a vida.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

O Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica na promoção da esperança na doença oncológica pediátrica. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 20-21. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.674

Artigos Similares

1-10 de 433

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)