Efeito das contrações musculares excêntricas nas propriedades do nervo periférico: uma revisão sistemática

Autores

  • Dorina Lungu Neuromuscular Research Lab, Faculty of Human Kinetics, University of Lisbon, Lisbon, Portugal
  • Tiago Neto Luxembourg Institute of Research in Orthopedics, Sports Medicine and Science, Luxembourg
  • Ricardo J. Andrade Nantes Université, Movement - Interactions - Performance, MIP, Nantes, France; Menzies Health Institute Queensland, Griffith University, Brisbane and Gold Coast, Queensland, Australia
  • Michel W. Coppieters Menzies Health Institute Queensland, Griffith University, Brisbane and Gold Coast, Queensland, Australia; Faculty of Behavioural and Movement Sciences, Vrije Universiteit Amsterdam, Amsterdam Movement Sciences, Amsterdam, The Netherlands
  • Raúl Oliveira Neuromuscular Research Lab, Faculty of Human Kinetics, University of Lisbon, Lisbon; Interdisciplinary Centre for the Study of Human Performance, Faculty of Human Kinetics, University of Lisbon, Lisbon, Portugal
  • Sandro R. Freitas Neuromuscular Research Lab, Faculty of Human Kinetics, University of Lisbon, Lisbon, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.693

Palavras-chave:

Contrações excêntricas, nervo periférico, dano neural, velocidade de condução nervosa, mononeuropatia

Resumo

Introdução: É amplamente reconhecido que as contrações musculares excêntricas quando repetidas com volume e intensidade consideráveis podem induzir dano ao músculo esquelético. No entanto, há pouco conhecimento sobre o impacto das contrações excêntricas em estruturas não musculares como o nervo periférico. Objetivos: Revelar os efeitos imediatos (isto é, <2 horas) e a curto prazo (isto é, <10 dias) das contrações musculares excêntricas nas propriedades estruturais, biomecânicas, fisiológicas e funcionais dos nervos periféricos, tanto de estudos em animais quanto em humanos. Material e Métodos: Quatro bases de dados (ou seja, Pubmed, Science Direct, PEDro e Cochrane) foram utilizadas para a pesquisa de estudos que envolvessem contrações excêntricas dos músculos dos membros superiores ou inferiores e resultados relacionados aos efeitos imediatos e/ou a curto prazo destas na estrutura, propriedades fisiológicas, biomecânicas e funcionais dos nervos periféricos. A qualidade metodológica dos estudos humanos foi avaliada com recurso à escala Risk Of Bias in Non-randomised Studies of Interventions (ROBINS-I) e SYRCLE’s Risk of Bias tool para estudos em animais. Resultados: De um total de 2415 artigos, 2 estudos em humanos e 2 em animais cumpriram os critérios de inclusão. A avaliação do risco de viés para os estudos em animais foi divergente para todos os itens em relação ao viés de seleção. Os estudos em humanos revelaram uma qualidade metodológica geral baixa a moderada. Foram encontradas alterações sugestivas de lesão do nervo periférico associada ao exercício. Observou-se redução na espessura da bainha de mielina e diâmetro da fibra (Kouzaki et al., 2016), diminuição da velocidade de condução nervosa sensorial e motora (Ochi et al., 2021). O nível de proteína zero reduziu, enquanto a concentração de macrófagos e tropomiosina quinase C aumentaram (Lee et al., 2014). Diferenças temporais foram encontradas entre estudos em humanos e animais. Além disso, nos estudos em animais, os efeitos foram de maior magnitude quando as contrações excêntricas eram realizadas a uma maior velocidade. Conclusões: As contrações excêntricas aparentemente alteram as propriedades estruturais, morfológicas, funcionais e fisiológicas dos nervos periféricos, o que provavelmente pode ser interpretado como dano neural.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Efeito das contrações musculares excêntricas nas propriedades do nervo periférico: uma revisão sistemática. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 33-34. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.693

Artigos Similares

1-10 de 429

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.