Relação da composição corporal com a aptidão cardiorrespiratória e performance muscular em jovens universitários

Autores

  • Carlos Tavares Departamento de Fisioterapia, ESS Jean Piaget Viseu, Viseu, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.699

Palavras-chave:

Aptidão física relacionada com a saúde, composição corporal, índice de massa corporal, percentagem de massa gorda

Resumo

Introdução: O nível de aptidão física relacionada com a saúde (ApFRS) e a quantidade de tecido adiposo acumulado no corpo estão relacionados com muitos resultados em saúde, o que leva à necessidade da seleção do método de avaliação mais assertivo. Objetivos: Avaliar a relação da composição corporal (CC) com a ApFRS nos domínios da aptidão cardiorrespiratória (ACR) e da performance muscular e examinar a CC de jovens universitários com diferentes indicadores [índice de massa corporal (IMC), rácio cintura/anca (RCA), percentagens de massa gorda (%MG) e de massa muscular (%MM)]. Material e métodos: Estudo transversal, descritivo e correlacional. Amostra de 114 estudantes universitários com um IMC normal e aparentemente saudáveis (género: 97 feminino e 17 masculino; idade 19,9 ± 1,8 anos; peso 59,7 ± 7,4 kg; estatura 164,9 ± 7,2 cm). A CC foi avaliada através do IMC, da bioimpedância elétrica e do RCA. Os testes para avaliação da AFRS incluíram a avaliação da ACR: teste do degrau (TD); da força muscular: força de preensão manual (FPM); da resistência muscular: teste de força de braços (TFB) e teste de força abdominal (TFA); e da flexibilidade: teste do sentar e alcançar. Resultados: Verificaram-se relações estatisticamente significativas (p≤0,05) entre a CC e ApFRS. O IMC apresenta apenas uma correlação com a FPM (r = 0,244), tendo mais FPM os sujeitos com o IMC mais elevado. A %MG apresenta correlações estatisticamente significativas com o TFB (r = -0,303), TFA (r = -0,187), o TD (r = -0,522) e a FPM (r = -0,406). Foram evidenciadas diferenças relativamente ao género nos componentes da ApFRS (exceto no IMC). Conclusões: Foi evidenciada a associação entre CC, ACR e performance muscular nos jovens universitários. No entanto, a magnitude e a direção das relações com os diferentes componentes da ApFRS não foram convergentes quando utilizados diferentes métodos de aferição da CC. A %MG foi o indicador de CC mais válido na amostra. Estes resultados sugerem que o fisioterapeuta não deve assumir que a um IMC normal corresponda uma CC normal, uma vez que a %MG parece ser, em conjunto com a %MM, o melhor indicador da CC.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Relação da composição corporal com a aptidão cardiorrespiratória e performance muscular em jovens universitários. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 37-38. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.699

Artigos Similares

11-20 de 477

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)