Análise dos valores da vitamina D em diferentes grupos populacionais

Autores

  • Sílvia Mota Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal
  • Maria Lopes Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal
  • Maria Lamas Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto; Centro de Investigação em Saúde e Ambiente (CISA), Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal
  • Maria Sousa Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto; Centro de Investigação em Saúde e Ambiente (CISA), Escola Superior de Saúde/Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.729

Palavras-chave:

Vitamina D, rural, urbano, colecalciferol, ergocalciferol

Resumo

Introdução: A vitamina D é uma hormona que atua diretamente na saúde óssea, no crescimento celular saudável, na imunidade, na musculatura, no metabolismo e noutros sistemas, como o sistema cardiovascular e o sistema nervoso. A sua formação implica uma primeira hidroxilação no fígado, pela 25-hidroxilase, a 25-OHD. Assim, o nível sérico de 25-OHD é o melhor indicador do conteúdo corporal de vitamina D. Um número crescente de estudos tem vindo a associar a insuficiência de vitamina D com aumento do risco para diversas patologias, como doenças cardiovasculares. Objetivos: Analisar os valores de Vitamina D de indivíduos provenientes de diferentes ambientes – espaços Urbanos e espaço de Ocupação Predominantemente Rural – e estudar o impacto da zona demográfica nos níveis dessa vitamina. Material e Métodos: Foi realizado um estudo descritivo transversal, com registos de 31208 indivíduos, dos quais 583 são habitantes de zonas rurais e 30625 de zonas urbanas. Em todas as amostras foi determinado o nível sérico de 25-OHD no período do inverno (entre 1 de janeiro a 31 de março de 2022). Posteriormente, analisaram-se os resultados e estratificaram-se por sexo, idade, proveniência e valor de Vitamina D. Resultados: No total, em ambiente urbano, 54,9% dos indivíduos apresentavam níveis deficientes de vitamina D e 27,9% níveis insuficientes. Em ambiente rural, 62,0% dos indivíduos apresentaram níveis deficientes e 25,4% níveis insuficientes. Na classe dos 19-30 anos, os níveis normais de vitamina D corresponderam a 7,07% 7,0% em meio rural e urbano, respetivamente, aumentando para 8,2% e 10,4%, respetivamente, em indivíduos entre os 31-50 anos. Já dos 51-65 anos, os níveis normais corresponderam a 9,3% em ambiente rural e 12,8% em ambiente urbano. Conclusões: Conclui-se que os défices de vitamina D ocorrem maioritariamente na população jovem, quer em ambiente rural, quer em ambiente urbano. O facto da população a partir dos 50 anos ter níveis normais poderá estar relacionado o uso de suplementação, dado que os valores inferiores aos normais são considerados como um obstáculo ao envelhecimento saudável.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Análise dos valores da vitamina D em diferentes grupos populacionais. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 59. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.729

Artigos Similares

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.