A influência do uso de lentes de contacto nos biomarcadores lacrimais

Autores

  • Eduardo Insua Pereira Visionlab S.A., Porto, Portugal
  • Madalena Lira Departamento de Física, Universidade do Minho, Braga, Portugal
  • Ana Paula Sampaio Departamento de Biologia, Universidade do Minho, Braga, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.733

Palavras-chave:

Biomarcadores lacrimais, lentes de contacto, fator de crescimento transformante-b1, interleuquina-1b

Resumo

Introdução: Os biomarcadores lacrimais são fundamentais no diagnóstico e monitorização de patologias oculares (Tamhane et al 2019). Em específico, estes podem ser utilizados para estudar a interação de biomateriais – como as lentes de contacto – com os tecidos humanos (Lock et al 2019). De entre os quais, o Fator de Crescimento Transformante-b1 (TGF-b1) e a Interleuquina-1b (IL-1b) são moléculas envolvidas na modulação da resposta inflamatória da córnea (Wilson S., 2021). Objetivos: Neste contexto, investigamos a presença de TGF-b1 e IL-1b na lágrima e a sua alteração com o uso de lentes de contacto. Material e métodos: Neste estudo clínico caso-controlo participaram 50 indivíduos: vinte e cinco usuários de lentes de contacto (4 homens, idade média 31.9± 9.2 anos) e 25 controlos (9 homens, 29.5 ± 7.0 anos) – não usuários. O procedimento clínico envolveu a colheita de lágrima dos olhos direitos de cada participante através de tubos capilares. Posteriormente, as amostras foram transferidas para tubos eppendorf e centrifugadas. A concentração de TGF-b1 e IL-1b foi determinada em laboratório recorrendo a kits de Ensaio de Imunoabsorção Enzimática (ELISA), de acordo com o recomendado pelo fabricante. Resultados: Os usuários de lentes de contacto tinham uma experiência média no uso de lentes de 9.5±7.4 anos. A presença de TGF-b1 foi detetada em 6% e 15% do total das amostras, para os grupos de utilizadores de lentes e controlos, respetivamente. A concentração mediana de TGF-b1 nas amostras foi de zero ng/ml em ambos os grupos. A IL-1b foi identificada em 36% e 52% das amostras, para os grupos de usuários de lentes e não usuários, respetivamente. A concentração média de IL-1b foi superior para os controlos relativamente aos usuários de lentes de contacto, mas a diferença não foi estatisticamente significativa (3.0  ± 11.2 Vs. Controlo 7.1 ± 14.9 rg/ml, p= 0.114). Conclusões: A presença de TGF-b1 na lágrima de olhos saudáveis é muito reduzida ou praticamente inexistente. A utilização de lentes de contacto não parece afetar a concentração dos biomarcadores TGF-b1 e IL-1b. No entanto, serão necessários estudos com uma maior dimensão para confirmar estes resultados.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

A influência do uso de lentes de contacto nos biomarcadores lacrimais. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 62-63. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.733

Artigos Similares

1-10 de 431

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.