Promoção da saúde no trabalho: avaliação do estilo de vida dos enfermeiros

Autores

  • Paula Lopes Bloco Operatório Central, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Portugal
  • Liliana Tavares Enfermeira Cuidados Gerais, Portugal
  • Mafalda Silva Escola Superior de Saúde Jean Piaget de Vila Nova de Gaia
  • Margarida Ferreira Escola Superior de Saúde Jean Piaget de Vila Nova de Gaia

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.757

Palavras-chave:

Estilo de vida saudável, saúde ocupacional, promoção da saúde, saúde dos trabalhadores

Resumo

Introdução: No Programa Nacional de Saúde Ocupacional 2018-2020 (DGS,2018) os determinantes da saúde constituem fatores que influenciam o estado de saúde, pelo aumento ou redução de comorbilidades. As opções individuais correspondem ao Estilo de Vida (EV), representando uma questão fulcral que integra a génese da saúde individual e coletiva (Farias et al 2022). A promoção de saúde deve ser estimulada no local de trabalho, através da adoção de um EV saudável incentivando à alimentação saudável, atividade física, promoção da saúde mental e familiar. A não adoção deste EV pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, cancro, a perda de anos de vida saudáveis (OMS,2022). Objetivo: identificar o EV dos Enfermeiros numa instituição hospitalar. Métodos: Planeamento em saúde. Aplicado o questionário “Estilo de Vida Fantástico” numa amostra de 45 enfermeiros. Parecer favorável de uma comissão de ética Resultados: 86,7% são do sexo feminino, com idades entre os 22 e os 35 anos, solteiros (75,6%) a trabalhar em unidades de cuidados continuados (35,6%) e internamento cirúrgico (31,1%). 20% possui alguma doença crónica e 22,2% considera ter vícios/dependências, entre os quais, 80% consome tabaco e 50% cafeína, dos quais 37,8% consomem mais de 3 a 6 vezes por dia, 47,1% não tentou modificar comportamentos. 17,8% realiza atividades recreativas, três dias por mês, 42,2% raramente anda 30 minutos por dia e 20% realizam uma vez por semana atividade física. 51,1% raramente comem duas porções de verdura e três de fruta diariamente, 88,9% ingerem alimentos hipercalóricos. 80% apresentam peso superior ao ideal. 69% aludem dificuldade em dormir, 49% em gerir o stress, 53,3% em desfrutar do tempo livre e 78% sente-se acelerado e/ou atarefado. 93,3% sentem-se aborrecido e/ou agressivo algumas vezes. 42,2% apenas às vezes se sentem otimistas e positivos e 93% tensos e/ou deprimidos. Conclusão: A abordagem no setting de trabalho promove uma intervenção precoce nos fatores de risco na saúde do trabalhador. Os domínios que carecem de intervenção estruturada são a atividade física, nutrição, tabaco e cafeína, sono e stress e trabalho/tipo de personalidade e introspeção. É fundamental a implementação de estratégias preventivas que promovam a segurança e saúde dos trabalhadores, contribuindo para ambientes de trabalho saudáveis.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Promoção da saúde no trabalho: avaliação do estilo de vida dos enfermeiros. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 81. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.757

Artigos Similares

1-10 de 513

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)