Glicina e as suas aplicações na medicina dentária: uma revisão narrativa

Autores

  • Ana Góis Sá Departamento do Serviço de Medicina Dentária Conservadora no Instituto Universitário de Ciências da Saúde (CESPU).
  • Orlanda de Araújo Lamas Correia Torres Departamento do Serviço de Medicina Dentária Conservadora no Instituto Universitário de Ciências da Saúde (CESPU).
  • Luís Miguel Lopes Santos Estágio Clínico, Cespu Parcerias
  • António Miguel Sousa Rajão Departamento do Serviço de Saúde Oral, Infantil e Prevenção no Instituto Universitário de Ciências da Saúde (CESPU)

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v2i2.89

Palavras-chave:

pó de glicina, esmalte, dentina, polimento, tamanho de partículas

Resumo

Introdução: São diversos os tratamentos minimamente invasivos e protocolos clínicos sensíveis, que levam à necessidade de encontrar substâncias inovadoras. A glicina, aminoácido não-essencial, de estrutura simples é um importante constituinte na estrutura extracelular de proteínas como o colagénio e a elastina, sendo apresentada em formato de partículas de pó abrasivo para aplicação diversificada nas áreas da medicina dentária. Apresenta mecanismos de ação ainda não totalmente compreendidos, sob o ponto de vista científico, mas que se julga que possuirão efeitos terapêuticos anti-inflamatórias, de regulação da função imune e síntese de citocinas. A glicina é inodora, incolor e altamente solúvel em água. Objetivos: Realização de uma revisão narrativa apresentando as diferentes vertentes de aplicação do pó de glicina na medicina dentária. Resultados: Em diferentes estudos têm vindo a ser aplicada, com o intuito de comparar, a ação da glicina recorrendo ao uso de diversos instrumentos manuais, rotatórios e de polimento e com protocolos clínicos diversos, tais como condicionamento ácido e o pré-tratamento da estrutura dentinária. Aplica-se na forma de partículas menos abrasivas, levando a um menor dano nas superfícies. É eficaz na remoção de biofilme supra e subgengival, com mínimo dano da estrutura gengival, comparativamente ao uso de jato de bicarbonato de sódio; raspagem radicular ou recurso ao destartarizador. Alcança-se por este método um ótimo polimento que se revela eficaz na diminuição da rugosidade de superfície, reduzindo a possibilidade de aderência e maturação da microflora bacteriana. Conclusões: A glicina é atualmente vista como uma substância inovadora no mundo da medicina dentária, sendo aplicada na periodontologia, no polimento de superfícies dentárias e do material restaurador, e igualmente no protocolo de pré-tratamento da dentina. Não obstante os bons resultados alcançados em vários ensaios, mais estudos serão necessários para a validação destas características e vantagens.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

Glicina e as suas aplicações na medicina dentária: uma revisão narrativa . (2021). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 2(2), 10-15. https://doi.org/10.51126/revsalus.v2i2.89

Artigos Similares

1-10 de 475

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.