Atividade atípica do Vírus Sincicial Respiratório durante a pandemia de COVID-19 num hospital português

Autores

  • Márcia Oliveira Serviço de Patologia Clínica, Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde, Póvoa de Varzim; Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto (ESS|PPorto), Porto, Portugal https://orcid.org/0009-0007-2616-4133
  • Nádia Martins Serviço de Patologia Clínica, Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Portugal https://orcid.org/0009-0009-4207-292X
  • Sandra Mota Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto (ESS|PPorto), Porto; REQUIMTE/LAQV, Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0002-2803-7230
  • Maria Manuela Amorim Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto (ESS|PPorto), Porto; REQUIMTE/LAQV, Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal https://orcid.org/0009-0006-1887-4840

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v6i1.660

Palavras-chave:

Vírus Sincicial Respiratório, epidemiologia, COVID-19, SARS-CoV-2, surto de doença

Resumo

Introdução: O Vírus Sincicial Respiratório (RSV) representa a principal causa de infeção aguda do trato respiratório inferior em crianças até aos 5 anos de idade. Após o início da pandemia da COVID-19 em 2020, foi necessário implementar medidas de controlo, que afetaram igualmente a atividade do RSV. Objetivos: Estudar o perfil epidemiológico do RSV em utentes pediátricos que recorreram ao Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim - Vila do Conde, no período de 1 de setembro de 2019 até 31 de março de 2022. Metodologia: Estudou-se os resultados da pesquisa de RSV por Reação em Cadeia da Polimerase, através da consulta de registos existentes no SISLAB®. A sua sistematização realizou-se no IBM SPSS Statistics 28. Resultados: A atividade do RSV na época sazonal de 2019/2020 iniciou na semana 49 de 2019 e terminou na semana 11 de 2020. Na época sazonal de 2020/2021 não se registaram casos de infeção. Registou-se atividade do RSV da semana 24 de 2021 até à semana 3 de 2022. Entre 2019 e 2020, as crianças com idade inferior a 13 meses representaram 57,1% dos casos de infeção, e entre 2021 e 2022, 24,3%. Conclusão: A ausência de atividade do RSV coincidiu com a implementação de medidas de controlo da COVID-19. O surto inter-sazonal registou-se após a flexibilização das mesmas, observando-se assim um perfil epidemiológico do RSV diferente do habitualmente registado em Portugal.

Downloads

Publicado

2024-03-26

Como Citar

Atividade atípica do Vírus Sincicial Respiratório durante a pandemia de COVID-19 num hospital português. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 6(1). https://doi.org/10.51126/revsalus.v6i1.660

Artigos Similares

1-10 de 452

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.