Comunicação de ciência em saúde para o cidadão: qual o léxico e as estratégias utilizadas pelas instituições científicas?

Autores

  • Elaine Santana Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal.
  • Rosa Silva Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal.
  • Ana Filipa Cardoso Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal.
  • Filipa Ventura Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal.
  • Joana Bernardo Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal.
  • João Apóstolo Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.566

Palavras-chave:

Comunicação em saúde, ciência cidadã, literacia científica

Resumo

Introdução: O conhecimento científico incita e permite a evolução das sociedades. Quanto mais efetivas forem as estratégias que permitam o conhecimento científico chegar às sociedades, mais rapidamente cumpre-se o seu dever social. Se até muito recentemente os investigadores centraram-se em descobrir novos caminhos de tratar e de cuidar das pessoas, desenvolvimento de novos produtos/serviços, cada vez mais, a comunidade científica entende que o seu objetivo não é só fazer ciência. Divulgar, disseminar e fazê-la chegar ao cidadão numa linguagem simples e acessível, através de estratégias inovadoras, é mais um designo do investigador. Objetivo: 1) analisar os discursos em uso nos websites de instituições científicas que vise comunicar ciência para o cidadão; 2) identificar as estratégias implementadas por estas entidades para comunicar ciência para o cidadão. Metodologia: estudo exploratório, de natureza qualitativa, teve como fonte de dados os conteúdos dos websites de instituições científicas na área da saúde, segundo critérios previamente estabelecidos; para tal recorreu-se à análise documental, presente em 16 websites de unidades científicas; a amostragem foi por conveniência, não probabilística com recurso a snowball sampling. O software Interface de R pour Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionneires (IRAMUTEQ) e a técnica de análise de conteúdo temática foram utilizadas para análise. Resultados: percebe-se que o léxico pode ser organizado em dois campos contextuais: “Aproximação ao cidadão” e “Da compreensão pública de ciência à comunicação estratégica”. Posteriormente, foram categorizados os mundos lexicais “Interação”, “Envolvimento”, “Acessibilidade” e “Capacitação”. Os resultados revelados pela Análise de Similitude endossam a classificação proposta pela Classificação Hierárquica Descendente e a Análise Fatorial Confirmatória. Havendo um maior predomínio de posicionamento dos mundos lexicais “Envolvimento”, “Acessibilidade” e “Capacitação”; que representam 30,7% da distribuição no corpus textual, resultados estes confirmados. As estratégias encontradas são diversas, a destacar a revisão de materiais informativos por partes dos cidadãos antes da sua disseminação. Conclusão: Pode-se afirmar que este novo paradigma, de levar a ciência ao cidadão, está cada vez refletido nos léxicos das iniciativas das instituições científicas. Os resultados deste estudo permitirão expandir o léxico e as estratégias de comunicação da ciência para o cidadão, para futuramente estudar-se o impacto desta comunicação.

Downloads

Publicado

2023-07-06

Como Citar

Comunicação de ciência em saúde para o cidadão: qual o léxico e as estratégias utilizadas pelas instituições científicas?. (2023). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Sup), 50. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.566

Artigos Similares

1-10 de 428

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)