Efeitos da creatina na força e potência muscular de adolescentes e adultos saudáveis praticantes de treino de resistência

Autores

  • Patrícia Magalhães Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, Portugal
  • Samuel Encarnação Department of Physical Activitiy and Sports Sciences, Universidad Autónoma de Madrid (UAM), Ciudad Universitaria de Cantablanco, Madrid, Spain; Department of Sports Sciences, Instituto Politécnico de Bragança, Bragança; Research Center in Sports Sciences, Health Sciences and Human Development (CIDESD), Portugal
  • António Miguel Monteiro Instituto Politécnico de Bragança, Bragança; Research Center in Sports Sciences, Health Sciences and Human Development (CIDESD), Portugal
  • Ana Maria Pereira Centro de Investigação de Montanha (CIMO), Instituto Politécnico de Bragança, Bragança; Laboratório Associado para a Sustentabilidade e Tecnologia em 96 Regiões de Montanha (SusTEC), Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.732

Palavras-chave:

Treino de resistência, creatina, força muscular, potência muscular

Resumo

Introdução: A utilização de creatina como suplemento durante a prática de atividade física tem sido extensivamente debatida como uma estratégia adotada para aprimorar o rendimento desportivo. (Bemben & Lamont et al., 2005; Branch et al., 2003). Objetivos: Avaliar os efeitos da suplementação de creatina na força e potência muscular em adolescentes e adultos saudáveis praticantes de treino de resistência. Material e Métodos: Realizou-se uma revisão sistemática da literatura, de acordo com as recomendações PRISMA (PRISMA et al., 2020), com recurso às bases de dados Pubmed e Web of Science, incluindo-se artigos originais completos publicados desde 1997. Os descritores utilizados foram (“resistance training” [Mesh] )AND (“creatine” [Mesh])  AND (“muscle strength”) OR (“muscle power”). Foram encontrados 2250 artigos, dos quais 11 cumpriram os critérios de inclusão definidos. Realizou-se uma avaliação crítica da qualidade metodológica aos artigos selecionados, utilizando-se o instrumento de avaliação crítica, adaptado por Crombie (Steele et al., 2003), onde todos os artigos tiveram uma classificação de qualidade alta. Resultados: Os resultados obtidos mostraram que a dosagem de suplementação de creatina mais usada nos estudos foi de 20g/ dia com duração entre 6 e 4 dias. Houve aumentos significativos com a suplementação de creatina em parâmetros como a força muscular máxima, o trabalho total, o tempo de potencialização pós ativação, a força máxima de contração, a resistência isométrica e potência máxima e torque arm-flexion. Noutros parâmetros de avaliação, como o índice de fadiga, tempo de circuito, a velocidade, força explosiva e corridas de sprint repetidas, não se verificaram alterações significativas com a suplementação de creatina. Conclusões: Constatou-se que os efeitos da suplementação de creatina na força e potência muscular em adolescentes e adultos saudáveis praticantes de treino de resistência em geral, são benéficos. Apesar dos resultados positivos, ainda serão necessários novos estudos com maior número de sujeitos e com métodos mais padronizados para facilitar a comparação entre estudos.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Efeitos da creatina na força e potência muscular de adolescentes e adultos saudáveis praticantes de treino de resistência. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 61-62. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.732

Artigos Similares

1-10 de 437

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.