Protocolo de estudo piloto de caraterização de flebites em pessoas com cateter venoso periférico, em duas instituições de saúde de Cabo Verde

Autores

  • Iara Delgado Serviço de cirurgia, Hospital Universitário Agostinho Neto, Cidade da Praia, Cabo Verde.
  • Darlene Gomes Serviço de Medicina, Hospital Batista de Sousa, Mindelo, Cabo Verde.
  • Mateus Rodrigues Serviço de Medicina, Hospital Universitário Agostinho Neto, Cidade da Praia, Cabo Verde.
  • Sandra Freire Serviço de Medicina, Hospital Universitário Agostinho Neto, Cidade da Praia, Cabo Verde.
  • Nilza Delgado Serviço de Ambulatório, Hospital Batista de Sousa, Mindelo, Cabo Verde.
  • Carla Cerqueira CINTESIS@RISE, Nursing School of Porto (ESEP), Porto, Portugal.
  • Celeste Bastos CINTESIS@RISE, Nursing School of Porto (ESEP), Porto, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.556

Palavras-chave:

Cateter venoso periférico, flebite, cuidados de enfermagem, segurança do utente

Resumo

Introdução: O cateter venoso periférico (CVP) é um dos dispositivos invasivos mais utilizado na prática clínica (Alexandrou et al., 2015) e a flebite é uma complicação frequentemente associada à sua utilização (Mota et al., 2020). A flebite é provocada por uma inflamação na camada interna da parede vascular, implicando um impacto negativo na qualidade de vida e na segurança do utente. A incidência da flebite é cada vez mais utilizada como indicador da qualidade dos cuidados de enfermagem prestados. Nas nossas instituições hospitalares é comum a existência de flebites em pessoas com CVP e verificamos que existe uma baixa uniformização das práticas clínicas entre os enfermeiros em relação à inserção e manutenção do dispositivo. Por outro lado, não existe um registo formal do evento flebite, justificando-se assim um estudo que permita apresentar uma proposta de documentação da atividade diagnóstica e das intervenções de enfermagem nas pessoas com CVP. Objetivos: desenvolver o protocolo de um estudo piloto de caraterização de flebites em pessoas submetidas a cateterização venosa periférica e encontrar contributos para a uniformização de práticas de diagnóstico e de intervenção de enfermagem na abordagem ao doente com CVP. Material e Métodos: Estudo transversal, descritivo e observacional, com uma amostra estimada de 100 utentes adultos, internados nos serviços de medicina e cirurgia no Hospital Universitário Agostinho Neto e no Hospital Baptista de Sousa. Na recolha dos dados será utilizada a Escala de Flebite, adaptada para português por Muniz Braga e colaboradores (2016), com autorização prévia dos autores. Serão também recolhidos dados sociodemográficos e clínicos. A recolha de dados será realizada em dois momentos, com um intervalo de tempo de 15 dias. O estudo encontra-se em fase de submissão e apreciação pela Comissão de Ética dos referidos hospitais; Resultados: Os resultados irão permitir um primeiro diagnóstico das situações de flebites em utentes com CVP e encontrar dados que permitam repensar e reformular as práticas de enfermagem na inserção e manutenção do CVP; Conclusões: Os resultados podem alavancar possíveis intervenções formativas e estruturais nos contextos em estudo, de forma a garantir cuidados de enfermagem alinhados com princípios de segurança.

Downloads

Publicado

2023-07-05

Como Citar

Protocolo de estudo piloto de caraterização de flebites em pessoas com cateter venoso periférico, em duas instituições de saúde de Cabo Verde. (2023). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Sup), 42-43. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.556

Artigos Similares

1-10 de 447

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.