Fatores protetores e de vulnerabilidade de estudantes do Ensino Secundário

Autores

  • Isilda Ribeiro Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • Regina Pires Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • Palmira Oliveira Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • Cristina Barroso Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • Fátima Segadães Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • José Carlos Carvalho Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal; CINTESIS@RISE, Porto, Portugal.
  • Carlos Sequeira Escola Superior de Enfermagem do Porto

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.561

Palavras-chave:

Saúde mental, estudantes, ensino secundário

Resumo

Introdução: Este estudo insere-se num projeto mais alargado, sobre a literacia e saúde mental dos estudantes do ensino secundário, visando contribuir para a promoção da saúde mental em contexto escolar. Objetivos: Identificar os fatores protetores e de vulnerabilidade de estudantes do ensino secundário. Material e Métodos: Estudo quantitativo, descritivo, multicêntrico. Participaram estudantes, via digital (setembro-dezembro de 2022) de cinco escolas secundárias da região norte de Portugal. Colheita de dados através do Questionário de Literacia e Saúde Mental Positiva, versão Estudantes Ensino Secundário com: caraterização sociodemográfica; "Questionário Saúde Mental Positiva"; "Escala Vulnerabilidade Psicológica"; "Questionário conhecimento de Saúde Mental"; e "O que é importante para uma boa saúde mental?". Aprovação pela Comissão de Ética da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ADHOC_822/2020). Obtido consentimento informado dos participantes e encarregados de educação. Resultados: Participaram no estudo 3236 estudantes, tendo-se verificado que 86,7% tinham entre 15-17 anos, 39,3% frequentavam o 11.º ano, 19,9% referem ter algum problema de saúde mental, 19,3% recorreram a serviços de saúde por problema de saúde mental, 49,7% referem ter/tem acompanhamento psicológico/psiquiátrico. Fatores protetores: 47,5% referem estar satisfeitos com o seu sono, 49,2% consideram dormir horas suficientes, apesar de 9,5% tomavam medicação para dormir e 5,4% tomavam medicação regular para algum problema saúde mental (ansiedade: 40,2% e depressão: 25,6%), 47,3% praticavam desporto/exercício regular, 25,8% consideram sua alimentação saudável, 18,7% ingeriam diariamente fruta/legumes. Fatores de vulnerabilidade: 35,2% raramente estavam com amigos fora da escola, 82,2% não participavam em atividades recreativas, 53,4% não estavam satisfeito com a relação afetiva/amorosa. Consumiam bebidas alcoólicas 28,4% e 5,4% drogas. Conclusões: Os fatores protetores e de vulnerabilidade relacionam-se com a saúde mental dos estudantes do ensino secundário, corroborando a evidência científica disponível. Identificaram-se alguns fatores protetores e de vulnerabilidade relacionados com a saúde mental, nomeadamente: ansiedade, depressão, consumo de álcool e drogas. Como fatores de vulnerabilidade destacam-se a falta de interação social, ausência de participação em atividades recreativas/desportivas e insatisfação com a relação afetiva/amorosa. Realça-se a importância da definição de estratégias de promoção da Saúde Mental nas escolas e entidades responsáveis, para eventual implementação de programas de Saúde Mental Positiva e Primeira Ajuda em Saúde Mental.

Downloads

Publicado

2023-07-05

Como Citar

Fatores protetores e de vulnerabilidade de estudantes do Ensino Secundário. (2023). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Sup), 46-47. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSup.561

Artigos Similares

1-10 de 352

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)