O impacto da utilização do sistema SHaRe no treino de adaptação à prótese do membro superior: um estudo de caso

Autores

  • Inês Pinho Centro Hospital de Entre Douro e Vouga, Portugal
  • Helena Sousa Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, Portugal
  • Paula Portugal Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.721

Palavras-chave:

Prótese mioelétrica, biofeedback, ambiente virtual, desempenho funcional

Resumo

Introdução Amputação é a perda parcial ou total de um membro que acarreta complicações físicas, psicológicas e sociais. Estima-se que em 2017 o número de amputações, apenas por causas traumáticas, tenha sido cerca de 57,7 milhões. Para além destas, a amputação pode também ser causada por fatores congénitos, infeções ou tumores. Independentemente da causa, a amputação altera o quotidiano de uma pessoa impactando a sua qualidade de vida. As amputações congénitas podem derivar de distúrbios genéticos, anormalidades cromossômicas ou exposições ambientais. A Federação Internacional das Sociedades de Cirurgia da Mão, adotou o sistema de classificação Oberg-Manske-Tonkin para poder categorizar todas as anomalias do membro superior em malformação, deformação e displasia. A adaptação à prótese do membro superior deve ser feita o mais rapidamente possível e existem várias opções, incluindo prótese cosmética, mioelétrica e híbrida. Uma vez que a adaptação é difícil e demorada pode-se pensar na utilização de ambientes virtuais para facilitar e motivar os utilizadores na adaptação à prótese. A literatura também indica que o uso de ambientes virtuais tem mostrado bons resultados quanto ao desempenho funcional. Objetivos O objetivo deste estudo foi explorar o impacto do biofeedback no treino de adaptação à prótese mioelétrica de membro superior usando o SHaRe System. Métodos Neste projeto microfocado num ator, foi utilizada uma abordagem multimetodológica, na qual foram integrados e analisados dados qualitativos e quantitativos. Uma entrevista semiestruturada e instrumentos standard, tais como a Medida de Independência Funcional e o Box and Blocks Test, foram utilizados para conduzir a avaliação. A intervenção foi realizada com recurso ao SHaRe System. Resultados O desempenho funcional e o controlo da força de preensão melhoraram após cinco semanas de intervenção. Foi obtida uma progressão de 62,50% nos resultados do Box and Blocks Test. Verificou-se uma diminuição das variações de força de preensão de 0,49 - 4,79kgf, na primeira semana, para valores de 0,24 - 3,07kgf, no final da intervenção. Descobriu-se, também, que o ambiente virtual foi um fator motivador durante o processo. Conclusões O biofeedback demonstrou efeitos positivos no treino de prótese mioelétrica de membro superior, revelando-se uma ferramenta inovadora na reabilitação de pacientes amputados.

Publicado

2024-01-15

Como Citar

O impacto da utilização do sistema SHaRe no treino de adaptação à prótese do membro superior: um estudo de caso. (2024). RevSALUS - Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 5(Supii), 54-55. https://doi.org/10.51126/revsalus.v5iSupii.721

Artigos Similares

1-10 de 89

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)